Banner Interna Artigo
Artigos Daniel M. Ely

Ajude a transformar o seu ecossistema local!

#10 – Agora, ajude a transformar o seu ecossistema local de inovação!

Ajude a transformar o seu ecossistema local!
Transformação Inovação Organizações Mindset Liderança Carreira Digital Estratégia 18.06.2021

Quando a organização avança em relação a sua transformação e maturidade digital, é muito comum que ela busque ampliar esse impacto em toda a sua área de atuação. A substituição de uma lógica de escassez por outra de abundância coloca em revisão inúmeros modelos que sempre foram utilizados pelas mesmas em relação à competitividade e ao crescimento. Uma delas é a certeza de que nada adianta crescer nesse novo contexto de forma acelerada, porém sozinho. Isso apenas fará com que você se torne uma ilha no meio de um oceano e pouco possa contribuir para a formação de um ecossistema maduro e robusto de inovação.

Estratégias para aumentar a colaboração entre todos os atores do seu ecossistema

Várias são as estratégias que podem ser adotadas para capturar a potencialidade de todos os atores do ecossistema de inovação em prol de um resultado coletivo e sustentável. Entre elas estão: 1 – identifique e trabalhe em conjunto com outros CPFs que já entenderam a mudança; 2 – estabeleça um processo de inovação aberta de sua empresa com todos os demais atores; 3 – Utilize a conexão com startups para acelerar o desenvolvimento de seu ecossistema local de inovação; 4 – apoie e potencialize outras ações e projetos que são importantes para criar densidade ao seu ecossistema local de inovação. Somadas, essas ações e estratégias irão permitir que mais ações de fora para dentro potencializem e acelerem também a transformação de sua organização. Existe, assim, uma relação de causa e efeito. Ambos se potencializam e todos ganham!

1 – Seu CPF pode impactar muitos outros CNPJs

No quinto artigo desta série trabalhamos a questão de desenvolver um grupo de CPFs de alto impacto dentro de sua organização. Como evolução desse processo, diria que seria de mesmo impacto e importância você proporcionar que sua equipe interna conecte-se com as demais pessoas que acabam desempenhando o mesmo papel de protagonismo em outras organizações, universidades e entidades da sociedade civil organizada.

A criação dessa rede de apoio mútuo de protagonistas, irá, rapidamente, ajudar a desmistificar a lógica de escassez que ainda possa estar dominando a sua região ou ecossistema local de inovação. Novas alternativas e ações em conjunto para resolver problemas comuns irão surgir. Uma força de cooperação e colaboração entre os diferentes CPFs e os respectivos CNPJs, os quais os mesmos representam, se formará. Enfim, um novo ambiente externo irá se consolidar o que, obviamente, trará mais impactos para ajudar a transformação cultural e digital de sua empresa de fora para dentro.

2 – Estabeleça um processo de Inovação Aberta

Um dos processos mais importantes com o qual  sua organização pode contribuir, para a formação de um ecossistema local de inovação sustentável, é o de compartilhar os seus desafios internos para além dos muros de sua empresa. Lembre que problemas reais, bem como, as dores de seus clientes são matéria-prima para os empreendedores. Se continuarmos tentando resolver tudo dentro de casa iremos cometer dois grandes equívocos nesse novo ambiente. O primeiro de não conseguirmos fazê-lo em nossas empresas em tempo, forma e com a assertividade e tecnologias desejadas pelo cliente. Em segundo lugar, os nossos empreendedores locais irão se conectar a outros ecossistemas que proporcionem esses insumos básicos para que possam crescer e prosperar. No final do dia estamos tratando de um tema estratégico de retenção dos talentos locais, além da atração de talentos de outras regiões ou ecossistemas mais maduros.

Plataformas individuais ou coletivas de inovação aberta são mecanismos inteligentes para organizar e compartilhar a demanda de problemas reais que precisam ser resolvidos. Porém, também são excelentes para conectar os intraempreendedores de nossas empresas com os empreendedores que estão do lado de fora das mesmas. Enfim, um novo processo de ganha-a-ganha que resgata o que temos de mais essencial e importante na formação de um ecossistema local de inovação, a cooperação entre todos os atores! 

3 – Aproxime-se de startups e estabeleça um processo de ganha-ganha

No processo de inovação aberta são conectados, além dos empreendedores locais e outros atores desse ecossistema, novas startups. Em minha experiência recente, coloco a conexão entre empresas tradicionais, startups e universidades como um importante mecanismo de aceleração do processo de transformação cultural e digital de fora para dentro, que exige, obrigatoriamente, uma redefinição de inúmeros processos internos para que sua organização possa viabilizar a contratação e utilização das soluções dessas startups. Costumo dizer que esse processo acelera em alguns anos o desenvolvimento de uma nova mentalidade e maturidade digital dos membros de sua organização. As empresas ganham maior agilidade para enfrentar os desafios da nova economia, soluções já desenvolvidas, com alto grau de novas tecnologias e visão do cliente já embarcadas. Por outro lado, as startups são aceleradas através da colocação de suas soluções em maiores escalas, assim como, recebem um importante aporte de smart money, termo que em inglês é utilizado nesse contexto para quantificar o que não é financeiro, contudo pode fazer toda a diferença para o empreendedor.

4 – Crie Densidade em suas ações (retenção dos talentos)

Todas essas estratégias e ações somadas, irão criar uma densidade mínima necessária para que todos os elementos de um ecossistema de inovação comecem a se auto-organizar. A densidade de problemas, soluções, novas competências e formas de trabalho, agentes fomentadores de transformação, metodologias ágeis, startups, capital a ser investido, nova atuação das universidades e poder público, todos em prol de um propósito comum, irão, definitivamente, compor um novo ambiente de negócios, crescimento e sustentabilidade!

Você não precisará mais encontrar de forma isolada as respostas para gerenciar problemas complexos. Até porque, cada vez mais, não existirão respostas certas ou erradas. Existirão alternativas de ações que podem melhor funcionar, ou não, de acordo com a sua realidade. Esse repertório de opções, você encontrará em uma rede maior que estará conectada por um mesmo propósito.

Uma relação de causa e efeito

Os 4 pontos apresentados anteriormente são apenas alguns exemplos de passos que devem ser dados para construir e fomentar um ecossistema de inovação relevante e pujante para o seu negócio e sua região. Todos decorrem, primeiramente, do crescimento da maturidade individual de cada um dos atores do ecossistema local. E, quando somadas, essas experiências individuais criam também o benefício da aceleração de iniciativas de alto impacto para a mudança da cultura local e ampliam a troca entre organizações que querem ser mais inovadoras. Por outro lado, criam um ambiente favorável para a atração e retenção de talentos chave na sua região. Não esqueça de sempre compartilhar os seus avanços, bem como, entregar parte do seu tempo e o de sua empresa para o todo!

Se você gostou, entre no canal Reflexões e Conexões no YouTube (link abaixo) e assista a um vídeo com dicas e informações complementares sobre este artigo da série!

 

Série Especial - Como realizar a transformação digital em organizações tradicionais?

Com foco nesse tema, convido a todos para acompanhar essa série de 10 artigos autorais, que poderão servir de apoio e alento a você, que quer ajudar ou até mesmo liderar essa mudança em sua organização. A ideia é compartilhar experiências e instigar discussões sobre esse assunto tão presente. Lembrando que não existe uma única verdade, tampouco, certo ou errado nessa jornada. Existem apenas coisas que estão funcionando melhor ou pior nesse novo contexto. Seriam alguns fragmentos de um possível “como” iniciar essa jornada de transformação, explorando algumas peças desse quebra cabeça. Porém, cada um deverá identificar quais peças possui, ou não, para montar o seu!

Sobre o autor:

Daniel M. Ely é CTO - Chief Transformation Officer das Empresas Randon. Conceito novo nos mercados nacional e internacional, o profissional é responsável por liderar o processo de transformação da empresa, acelerando a mudança da cultura organizacional, a partir de uma nova mentalidade de atuação e postura das equipes, além de impulsionar a adoção de novas e mais inovadoras tecnologias que apoiem essa transformação. Daniel M. Ely é mestre em Estratégias Organizacionais e possui especialização pela Universidade de Kellogg e Singularity. Em âmbito estadual, é coordenador do CITEC – Conselho de Inovação e Tecnologia da FIERGS e membro do Conselho Consultivo do Inova RS. Além disso, é um dos idealizadores e atual presidente do Instituto Hélice - Inovação Colaborativa e do Instituto UniTEA – Unidos pelo Autismo.

Edição e revisão: Raquel Ely

Voltar

Fique por dentro dos nossos artigos